Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Prêmio Tuxáua 2010’


As Nações Unidas celebram neste 15 de junho, o Dia Mundial da Conscientização contra a Violência à Pessoa Idosa.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, entre 4% e 6% das pessoas idosas em todo o mundo já foram vítimas de alguma forma de abuso. As agressões podem ter caráter físico, emocional ou financeiro.

Praticamente todos os países devem ver um crescimento substancial no número de pessoas idosas entre 2015 e 2030, e esse crescimento será mais rápido nas regiões em desenvolvimento. Porque o número de pessoas idosas está crescendo, a quantidade de abuso de idosos pode crescer com ela. Embora o tópico tabu do abuso de idosos tenha começado a ganhar visibilidade em todo o mundo, continua sendo um dos tipos de violência menos investigados em pesquisas nacionais e um dos menos abordados nos planos de ação nacionais.

O abuso de idosos é uma questão social global que afeta a saúde e os direitos humanos de milhões de pessoas idosas em todo o mundo e uma questão que merece atenção da comunidade internacional.

A Assembléia Geral das Nações Unidas, em sua resolução 66/127, designou 15 de junho como Dia Mundial de Conscientização contra o Abuso de Idosos. Representa um dia do ano em que o mundo inteiro expressa sua oposição ao abuso e ao sofrimento infligidos a algumas de nossas gerações mais velhas

“Compreender e acabar com o abuso financeiro de pessoas mais velhas: uma questão de direitos humanos”
O tema de 2017 sublinha a importância de prevenir a exploração financeira no contexto do abuso de idosos para o gozo dos direitos humanos dos idosos. De acordo com a Agenda de Desenvolvimento Sustentável de 2030 e o Plano de Ação Internacional de Madri sobre o envelhecimento, as pessoas idosas têm direito a uma vida de dignidade na velhice, livre de todas as formas de abuso, incluindo a exploração financeira e material, o que pode levar à pobreza , Fome, sem-abrigo, saúde comprometida e bem-estar, e até mortalidade prematura.

Secretário-geral da ONU pede maior prevenção da violência contra idosos

As Nações Unidas celebram nesta sexta, 15 de junho, o Dia Mundial da Conscientização contra a Violência à Pessoa Idosa.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, entre 4% e 6% das pessoas idosas em todo o mundo já foram vítimas de alguma forma de abuso. As agressões podem ter caráter físico, emocional ou financeiro.

Em mensagem, o secretário-geral da ONU disse que a primeira celebração da data ocorre em uma época em que “as pessoas vivem mais”, e pede que os cuidados ao grupo sejam “revigorados”.

Ban Ki-moon cita pesquisas que indicam que a negligência, o abuso e a violência contra idosos, tanto nos lares como em instituições, são maiores do que indicam os números.

O secretário-geral considera os atos “um ataque inaceitável à dignidade e aos direitos humanos” e lembra que as preocupações com o aumento do fenômeno levaram a Assembleia Geral a criar a data.

“Importante a união para que sejam reafirmados os direitos humanos da pessoa idosa” disse a Tuxáua e Educadora Popular, Marly Cuesta e completa,”É necessário que os governos façam um esforço urgente para a criação de estratégias mais eficazes de prevenção da violência contra idosos.”

Fonte:
http://www.un.org/en/events/elderabuse/index.shtml
Foto da ONU / John Isaac

Read Full Post »

cartaz_menorCONVITE PARA A 1ª FEIRA DA BIODIVERSIDADE

 

“Aquilo que foi destruído, o foi para sempre,

mas o que está em perigo, ainda pode ser salvo”.

 

 

É com muita alegria que convidamos para a 1ª Feira da Biodiversidade conforme segue abaixo:

Data: 15 a 17 de maio de 2015

Horário: das 9 horas às 19 horas

Local: Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter- Rua Heitor Campos, snº – Bairro Medianeira – Santa Maria – RS

Veja a Programação:

programação

 

Esta é uma proposta “ousada e profética” de um grupo de pessoas e organizações, que tem a sensibilidade e a preocupação com a Sustentabilidade do Planeta Terra e o cuidado com a vida em todas as suas dimensões.

Todos nós, como habitantes do Planeta Terra, temos o compromisso de deixá-lo melhor do que o encontramos. Todas as formas do cuidado da vida, em todas as dimensões, precisam fazer parte de nossa formação como seres criados a imagem e semelhança de Deus. A sábia palavra de Jesus, nos motiva a desenvolver ações que contribuam para um mundo mais habitável e uma sociedade justa, fraterna e igualitária. “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10).

O convite pode ser divulgado em todos os seus contatos e Redes Sociais, para que muitas pessoas possam aderir a esta belíssima iniciativa, dentro do Aniversário de Santa Maria.

A Comissão Organizadora:

Para contatos:

Projeto Esperança/Cooesperança

Rua Silva Jardim, 1704, Santa Maria – RS – Brasil

Fone/Fax: 55 3219 4599 / 3223 0219 / 9979 7087

E-mail: projeto@esperancacooesperanca.org.br

Site: www.esperancacooesperanca.org.br / www.facebook.com/projetoesperancacooesperanca

Agradecemos pela sua participação, interação e divulgação.

Comissão Organizadora do Evento

Todo apoio do Projeto Bússola Cultural, um projeto aprovado pelo Prêmio Tuxáua 2010.

Read Full Post »

dia_vida_selvagem4VIDA SELVAGEM EQUILIBRA OS ECOSSISTEMAS

Hoje, dia 3 de março é comemorado o Dia Mundial da Vida Selvagem.

A fauna silvestre é composta pelos animais que não são domesticados, reagem à presença humana e têm dificuldades para crescer e se reproduzir em cativeiro. Já a flora é formada por florestas, matas ciliares, cerrados, manguezais e outras formas de vegetação existentes.

A data foi criada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2013, para reafirmar o valor essencial das espécies silvestres.

“Este dia serve para chamar a atenção da sociedade, levantar o debate sobre a relação do homem com estas espécies e promover a reflexão sobre a sua conservação”, destacou o coordenador geral de Manejo para Conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (CGESP/ICMBio), Ugo Vercillo.

A vida selvagem é importante tanto pelo seu aspecto ecológico como genético, social, econômico, científico, educacional e cultural. Exercer sua exploração de forma sustentável, além de manter o equilíbrio do meio ambiente, pode propiciar avanços medicinais, pelo uso e estudo de plantas medicinais e mesmo de animais silvestres, além de criação de produtos derivados, cremes e remédios.

Ecossistemas em harmonia

O Brasil é o país de maior biodiversidade do mundo, o que desperta uma intensa busca por espécies silvestres para os mais variados fins, que vão desde a obtenção doméstica de animais e plantas exóticas, alimentação até a um vasto número de produtos derivados. Tanto a fauna como a flora mantém os ecossistemas estruturados e em harmonia. Todas as espécies são insubstituíveis e, por isso, a ausência de qualquer uma delas altera toda a dinâmica do sistema.

“Todos os alimentos são derivados de espécies silvestres, da mesma forma grande parte do vestuário; e a qualidade da água, solo e ar dependem fundamentalmente das plantas e animais. A produção agrícola depende da qualidade do solo, da água e da polinização por espécies silvestres”, explicou Vercillo.

A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (CITES)

O tráfico ilegal da fauna e da flora silvestres é uma das principais ameaças à biodiversidade. O comércio de animais e plantas interfere na existência e função de várias espécies, muitas delas em perigo imediato de extinção.

Buscando solucionar esse problema, foi criada a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (CITES), um dos acordos ambientais mais importantes para preservação das espécies, que conta com a participação da maioria dos países. O Brasil aderiu à Convenção em 1975.

A CITES regulamenta a exportação, importação e reexportação de animais e plantas, suas partes e derivados, por meio de um sistema de emissão de licenças e certificados que são expedidos quando se cumprem determinados requisitos. “3 de março é a oportunidade para todos nós, não importa quem somos e onde estamos, celebrarmos a beleza e a variedade de milhões de plantas e animais com quem compartilhamos este planeta”, declarou o secretário-geral da CITES, John E.Scalon.

Saiba mais sobre a CITES.

Visite o zoológico da sua cidade

Em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e com o Ministério do Meio Ambiente, a Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB) vai celebrar o Dia Mundial da Vida Selvagem com uma série de atividades em diversos zoológicos e aquários pelo país. Veja no site da SZB ou no zoológico da sua cidade a programação completa.

Plaquinhas para celebrar o Dia Mundial da Vida Selvagem

O ICMBio, em parceria com a Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB), oferecerá nessa data atividades nos zoológicos e aquários por todo País.

Participe dessa celebração. Baixe o arquivo, imprima as plaquinhas, tire fotos e poste nas redes sociais usando as hashtags: #WorldWildLifeDay #DiaMundialdaVidaSelvagem. Mostre ao mundo o quanto você é “louco pela vida selvagem”.

Fonte:
ICMBio

http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2015/03/dia-mundial-da-vida-selvagem-e-comemorado-nesta-terca-3

Read Full Post »

Papa Francisco abençoando a Silvana Bragatto_10956268_10200235655731543_4350512364122949507_n Papa Francisco com livro Puntos de Cultura_10426233_877670155627043_3878113638416921971_nPor Célio TurinoPapa Francisco e Célio Turino_digitalizar0007-300x206

Foi inesperado. De repente, uma amiga argentina, Ines Sanguinetti, uma bailarina que dedica sua vida a promover a Cultura Viva Comunitária na periferia de Buenos Ayres, em que “Crear vale la pena”, envia uma mensagem: “estou apresentando-o à Damiana, que trabalhou com o Papa Francisco quando arcebispo e eles gostariam de conhecer mais a ideia dos Pontos de Cultura”. Trocamos algumas mensagens, ela pediu meu currículo sem dizer para que, também enviei meu livro em espanhol, editado na argentina ” Puntos de Cultura – Cultura Viva en movimiento” e ficamos de nos encontrar em abril, quando eu fosse ministrar um curso de gestão cultural em Buenos Ayres. Uma conversa das muitas que realizo com pessoas de diversos países, trocando ideias sobre a Cultura Viva que é realizada pelo mundo afora. Uma semana depois, recebo um convite da Academia de Ciências do Vaticano, para ministrar a Conferência de abertura no tema “Cultura, Educação e Emancipação” no Congresso mundial do programa Scholas Occurrentes (Escolas do Encontro) a ser lançado pelo Papa Francisco, com o objetivo de envolver 60 milhões de jovens em todo o mundo. Mais uma semana e eu estava no Vaticano. Tudo muito rápido e bem definido.

Promover encontros pela paz. Não desses encontros retumbantes, com declarações genéricas e pouca ação prática, mas encontros singulares, pessoa a pessoa. Sessenta milhões de crianças e jovens a se encontrarem pelo mundo, um a um, estabelecendo laços de afeto e confiança. Esta é a ideia das Escolas do Encontro. Algo assim: colocar um jovem Checheno convivendo com um jovem Russo, dormindo no mesmo quarto, dividindo a mesma comida e um tendo que lavar a roupa do outro, como na vila de Rondini, na Itália, em que jovens de países conflagrados são convidados a viver juntos, sob o mesmo teto. E, de repente, um jovem israelense declara que nunca havia conversado com um palestino antes de dividir o quarto com um, e eles se descobrem amigos. Potenciar o encontro, praticar a alteridade (o se reconhecer no “outro” por mais diferente que este “outro” possa parecer), exercitar a tolerância e a paz, esta é a ideia do Scholas Occurrentes.

O Ponto de Cultura pode fazer esta mediação. Aqui não me refiro aos Pontos de Cultura instituídos ou reconhecidos por governos, esses também, mas há muito mais Pontos de Cultura espalhados por aí. Gente boa, criativa e dedicada, fazendo trabalho pelo mundo, entregando suas vidas a organizar a Cultura Viva em suas comunidades. Pode ser uma biblioteca comunitária, ou uma escola de dança, ou grupo de teatro, de hip hop, coletivo audiovisual, com indígenas, jovens de favelas, camponeses, também estudantes universitários, mestres da Cultura Popular, Griôs, contadores de histórias, palhaços, músicos, gente fazendo ecovilas, agroecologia, cooperativas de economia solidária, trabalhos compartilhados em software livre, cultura digital. Tudo cabe na Cultura Viva, basta querer, inventar e fazer. E promover o encontro.

Há realidades extremadas, como jovens vivendo em áreas de guerra. Mas há também outras realidades em que o Encontro deve ser promovido, em que a guerra não é declarada, mas velada (ou não tão velada assim). Não seria uma boa ideia colocar jovens de um colégio arquidiocesano, de classe média alta, para interagir com jovens de uma escola pública no Capão Redondo, em São Paulo? Mesmo morando na mesma cidade, talvez eles nunca tenham se encontrado, como entre os jovens israelense e palestino. Por vezes são escolas que estão ao lado uma da outra, no mesmo bairro ou região, por vezes estes jovens até se cruzam nas ruas, mas nunca se olharam, nunca se ouviram. O jovem da família rica, com acesso a todos os bens de consumo ou conforto, talvez seja até mais excluído de sua cultura, de seu povo, que um jovem que possa morar na favela vizinha. Um, com acesso a shoppings, baladas, cinema multiplex ou roupas de marca, outro, com acesso ao Jongo, à capoeira, às rodas de conversa, saraus de periferia ou grupos de rap. Mas eles tem o que conversar e aprender um com o outro. É aí que entra a cultura e o esporte. Não para promover um encontro forçado, como se fosse uma tarefa escolar, em que cada uma dessas crianças e jovens devesse conversar com a outra em algum momento especial ou em encontros pelo computador. Mas em encontros reais, vivenciados cotidianamente. Um grupo de capoeira, o exercício de produção de um audiovisual entre jovens de realidades tão distintas, um trabalho comunitário (não para que o mais rico se sinta ajudando o mais pobre, mas para uma ação comum, em que um ajuda e aprende com o outro, cuidando de uma horta comunitária, de comida orgânica, por exemplo). Enfim, há tantas possibilidades, tantas necessidades, tanta gente precisando se encontrar (mesmo quando não sabem). Cabe aos Pontos de Cultura do mundo a mediação deste encontro.

Foi o que conversei com o Papa Francisco. E que venham os encontros!

“Fico mais uma vez muito emocionada por fazer arte desta grande família,que foi idealizada com tanto amor,dedicação e competência por Célio Turino, um grande visionário de que a cultura pode muito!Foi graças a ele que lá naquele nosso primeiro Encontro dos Pontos de Cultura,em 2006,em São Paulo,eu estive presente,graças ao seu convite,representando nosso projeto cultural da Associação de Mulheres Vitória-Régia,que eu nem sabia que era um Ponto de Cultura!Suas ações como titular da Secretaria da Cidadania Cultura do Ministério da Cultura,nos ajudaram muito no nosso empoderamento e fortalecimento de nossas companheiras mulheres,suas crianças e jovens!Cada degrau da caminhada do Célio, foi construído assim,com essa singeleza e simplicidade com chega agora ao Vaticano, levado pelo convite do nosso amado Papa Francisco​!Parabéns,Célio Turino,serás sempre o nosso grande Embaixador do Programa Cultura Viva no mundo todo pelo bem viver dos povos!”São as palavras emocionadas da Tuxáua Marly Cuesta.

http://www.revistaforum.com.br/brasilvivo/2015/02/23/encontro-com-papa-francisco/

Read Full Post »

editora-musicalEstá reaberto para consulta pública, até 3 de abril, o Plano Nacional de Música. A ideia é que as pessoas comentem sugiram ações que contribuam para realizações das metas, elaboradas à luz do Plano Nacional de Cultura.

Entre as 34 metas propostas estão: 100% dos Sistemas Estaduais e Municipais de Cultura com representação no setor da música; 100% dos estados com registro das músicas das culturas populares e tradicionais; 25% dos editais destinados a música fomentado pelo governo que sejam para música oriunda de povos e comunidades tradicionais e de culturas populares; aumento em 150% no emprego formal do setor musical; 100% dos filmes brasileiros de longa-metragem com trilha sonora de música brasileira; e 20% da produção da música independente brasileira na programação dos canais de televisão quer seja fechado e ou aberto.

Toda a cadeia da música está convidada a participar. Para isso, basta clicar nos ícones das metas e das ações no site culturadigital.br/planosetorialdemusica e deixar as suas contribuições.

Após comentários, os participantes receberão retorno sobre a revisão do plano e as contribuições que foram incorporadas.

http://www.culturaemercado.com.br/noticias/consulta-sobre-plano-nacional-de-musica-e-reaberta/

http://culturadigital.br/planosetorialdemusica/

 

Read Full Post »

IMG-20140511-WA0004SÃO PAULO, São Paulo – O Centro Universitário Maria Antonia da USP promove, de 9 a 12 de fevereiro, o curso Cinema e gastronomia: ficção e ativismo, ministrado por Janka Babenco.

Os encontros acontecem das 16 às 18 horas e discutem a gastronomia através do cinema, mostrando o alimento como parte do cenário, símbolo social, palco de conflito e tema das narrativas. O universo gastronômico pode ser encontrado tanto em filmes de ficção, quanto em documentários, relacionando os homens com os alimentos, a história e os hábitos alimentares, a produção e o consumo e também com respectivos os impactos sociais. Sob a perspectiva de que existem filmes com sabor, filmes de autopromoção e filmes engajados, o papel dos chefs também será tratado, dialogando com referências cinematográficas.

As apresentações terão como tema, no dia 9 de fevereiro, “A comida italiana do Neorrealismo aos filmes de Hollywood”, no dia 10, “A culinária francesa e os filmes de comida no mundo”, no dia 11, “O chef: arte e ego” e, no dia 12, “Manifesto e denúncia: a comida como ativismo”.

Janka Babenco atua desde 1996 na área de gastronomia, comunicação e projetos culturais, com especializações nas áreas de Patrimônio Cultural (UFPE) e Gastronomia e Turismo (Universidade de Estudos de Ciências Gastronômicas – Itália) e desenvolve o projeto da Mostra DOC Gastronômica.

Os interessados devem realizar inscrições no 2º andar do Centro Universitário Maria Antonia, na sala de cursos, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas. O valor a ser pago é de R$ 200,00. Estudantes e professores têm desconto de 20% e idosos, de 40%.

Evento Pago Valor: R$ 200,00
Inscrição Inscrição Prévia Obrigatória 17/12/2014 – 06/02/2015
Local: Sala de cursos no Centro Universitário Maria Antonia.
Site http://www.usp.br/mariantonia
E-mail: cursosma@usp.br

Fonte: USP

http://www.revistamuseu.com.br/noticias/not.asp?id=43544&MES=%2F2%2F2015&max_por=10&max_ing=5#not

Read Full Post »

Brasília, 30 de janeiro de 2015.

Prezados Senhores Deputados,

Arlindo Chinaglia (PT-SP), Chico Alencar (PSOL-RJ), Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Júlio Delgado (PSB-MG).

As organizações abaixo-assinadas, em apoio aos povos indígenas do Brasil, protagonistas nos últimos anos da Mobilização Nacional Indígena, consideram inaceitável o espírito pouco – ou nada – republicano que vem pautando articulações em torno de algumas candidaturas à Presidência da Câmara dos Deputados e da eleição da sua mesa diretora. Notícias veiculadas pela imprensa informam que grupos representativos de interesses privados vêm barganhando com alguns candidatos à presidência o endosso à tramitação de propostas que afetam direitos fundamentais da população brasileira.

Diante disso, condenamos o modo como os direitos – sobretudo os territoriais – dos povos indígenas, comunidades tradicionais e outras populações do campo, além dos direitos ambientais e das gerações futuras, vêm sendo tratados como moeda de troca entre bancadas e grupos de interesses privados representados no Parlamento.

Consideramos especialmente graves as informações de que apoios para certas candidaturas têm sido costurados com a promessa de ressurreição de proposições legislativas destinadas a limitar, reduzir e/ou extinguir direitos – tal como a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 215-A/2000, arquivada ao final da legislatura passada, e outras medidas similares.

Converter direitos constitucionais, historicamente conquistados pelo povo brasileiro, em objeto de barganha política é inadmissível por afrontar o Estado Democrático de Direito, rebaixando a relevante função de representação parlamentar e beneficiando interesses particulares em detrimento de direitos de grupos vulneráveis e do interesse público, com graves impactos a toda a sociedade brasileira.

A eleição para a Presidência da Câmara deve pautar-se pela discussão de temas de interesse público substantivo, voltados a um projeto de país socialmente justo, que respeite a diversidade própria do povo brasileiro, e ao aprofundamento da democracia, da participação popular e da efetivação dos direitos fundamentais previstos na Carta Magna de 1988.

Assim sendo, cobramos o compromisso dos candidatos à Presidência da Câmara dos Deputados com a manutenção dos direitos fundamentais previstos nos Artigos 5º, 225, 231, 232 e ADCT 68, todos integralmente protegidos a título de cláusulas pétreas conforme dispõe o Artigo 60, §4º, IV, e com o Direito Internacional dos Direitos Humanos, o que inclui a Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Sendo o que tínhamos a manifestar, ficamos no aguardo de seu posicionamento.

Atenciosamente.

Assinam:

Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo – APOINME

Articulação dos Povos Indígenas da Região Sudeste -ARPIN-Sudeste

Articulação dos Povos Indígenas da Região Sul – ARPIN-Sul

Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB

Associação Brasileira de Antropologia – ABA

Associação Floresta Protegida – AFP

Associação Profissional de Antropologia – Aproa

Aty Guasu

Centro de Trabalho Indigenista – CTI

Campanha #ÍndioéNós

Coletivo A Causa

Comissão Guarani Yvyrupa

Comissão Pró-Índio de São Paulo – CPI-SP

Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração

Conselho do Povo Terena

Conselho dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul

Conselho Indigenista Missionário – CIMI

Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira – COIAB

Escola de Ativismo

Greenpeace Brasil

Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena

Instituto de Estudos Socioeconômicos –INESC

Instituto Internacional de Educação do Brasil – IEB

Instituto Sociedade, População e Natureza – ISPN

Instituto Socioambiental – ISA

Movimento de Apoio aos Povos Indígenas – MAPI

Uma Gota No Oceano

WWF- Brasil

“Somam-se às assinaturas,também,ações e projetos que beneficiam os povos indígenas,abaixo relacionados”afirma a mobilizadora social,ambiental,cultural e Tuxáua,Marly Cuesta

Representação da Região Sul no Colegiado Setorial de Artesanato do Conselho Nacional de Política Cultural do MINC

Projeto Bússola Cultural – Prêmio Tuxáua 2010

Associação de Mulheres e Ponto de Cultura “Vitória-Régia”

Campanhas de Alimentação e Agasalho em prol das Comunidades Indígenas do RS

Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

Projeto GARIMPO DAS ARTES ARTESANAIS RS: SABERES E FAZERES

Centro Cultural Vila Sampaio

https://mobilizacaonacionalindigena.wordpress.com/2015/01/30/carta-publica-aos-candidatos-a-presidencia-da-camara-dos-deputados/comment-page-1/#comment-318

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: