Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘educação ambiental’

22 de Maio Dia Mundial da Biodiversidade

Biodiversidade é o nome dado a diversidade de natureza viva existente no mundo. Ela pode ser definida como a variedade que existe entre os organismos vivos e suas complexidades ecológicas, podendo também ser entendida como a associação de varios componentes hierárquicos.

Para a sua sobrevivência, os seres humanos dependem da biodiverdidade do planeta, já que ela é responsável por fornecer tantos benefícios.

Uma grande erosão da biodiversidade vem sendo observada durante as últimas décadas, o que leva muitos biólogos a acreditarem em possível extinção em massa. Segundo os cientistas, a taxa de perda de espécies cresceu muito, e é maior agora do que em qualquer outra época da história.

Em 22 de maio é comemorado o Dia Mundial da Biodiversidade, e é comum acontecerem campanhas para incentivar a proteção ao seres vivos do meio ambiente como a Educação Ambiental para nossas crianças.

Educação Ambiental para a infância

Educação ambiental para a infância

É importante que as crianças desde a mais tenra idade já aprenda cultivar suas plantas!

ONU Meio Ambiente alerta para aumento das emissões de gás que destrói camada de ozônio
Novas descobertas de um estudo divulgado na semana passada na revista Nature indicam que as emissões de CFC-11, o segundo gás mais abundante que destrói a camada de ozônio, subiram inesperadamente nos últimos anos, apesar da proibição mundial de sua produção desde 2010.

“Embora os modelos científicos atuais mostrem que a camada de ozônio continua a caminho da recuperação até meados do século, o aumento contínuo das emissões globais de CFC-11 colocará esse progresso em risco”, avaliou a ONU Meio Ambiente em nota.
Novas descobertas de um estudo divulgado na semana passada na revista Nature indicam que as emissões de CFC-11, o segundo gás mais abundante que destrói a camada de ozônio, subiram inesperadamente nos últimos anos, apesar da proibição mundial de sua produção desde 2010.

“Embora os modelos científicos atuais mostrem que a camada de ozônio continua a caminho da recuperação até meados do século, o aumento contínuo das emissões globais de CFC-11 colocará esse progresso em risco”, avaliou a ONU Meio Ambiente em nota.

Por uma cidade realmente sustentável

Painel em Porto Alegre

Uma cidade ou um planeta sustentável é possível a partir de projetos e mobilizações tanto da sociedade quanto dos governos. Para Paulo Brack, é possível frear o desmatamento pela especulação imobiliária através de divulgações, denúncias e a atuação da população junto aos conselhos ambientais e ao Ministério Público, no âmbito Estadual ou Federal.

Porém, a Capital do Estado do Rio Grande do Sul,como tantas outras, não prevê plano de sustentabilidade. “Poderia ser qualquer plano. Inicialmente passaria por definir os limites para à expansão urbana, para a poluição hídrica, aérea e pelos resíduos sólidos”, ressalta o Ambientalista, Biólogo e Prof.Paulo Brack.

Quanto à mobilidade urbana, Brack acredita que a maioria dos políticos e governantes tem visão imediatista e não está interessada nestas questões. “O transporte público deveria ser uma bandeira não só das ONGs, mas do público em geral”, avalia o biólogo.

Devido a todos os problemas ambientais no mundo, um dos maiores e mais preocupantes da atualidade é a poluição eletromagnética, que é gerada através da grande rede de comunicação sem fio, como ondas de televisão e rádio, uso de aparelhos celulares via satélite, que é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como cancerígena.

“Para contermos esses grandes problemas ambientais, somente com uma mudança individual, moral e ética da sociedade. A consciência, não só ambiental, como da humana para um mundo mais sustentável”, afirma a Educadora Ambiental e Tuxáua,Marly Cuesta.

Mas para que toda a destruição provocada pelo homem possa ser reparada é necessária uma grande transformação na humanidade. É isso que os ambientalistas promovem. É por essa transformação que devemos nos unir cada vez mais em projetos e ações.
Fontes
https://nacoesunidas.org/onu-meio-ambiente-alerta-para-aumento-das-emissoes-de-gas-que-destroi-camada-de-ozonio/

Anúncios

Read Full Post »

floresta-amazonica-1024x683

De acordo com a FAO – Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, por exemplo, a floresta pode ser definida como uma “área medindo mais de 0,5 ha com árvores maiores que 5 m de altura e cobertura de copa superior a 10%, ou árvores capazes de alcançar estes parâmetros in situ. Isso não inclui terra que está predominantemente sob uso agrícola ou urbano.”
Independentemente da definição, esse tipo de vegetação caracteriza-se por sua importância dos Biomas e principalmente no que diz respeito à biodiversidade, velocidade dos ventos e regime de chuvas. No nosso país encontramos importantes florestas, destacando-se a Floresta Amazônica, a maior floresta tropical do planeta.

No dia 17 de julho, comemora-se o Dia de Proteção às Florestas,com objetivo de conscientizar a população brasileira da necessidade de manter e recuperar as áreas verdes devastadas, principalmente por fatores não naturais (atividade humana), como especulação imobiliária, abertura de estradas e espaço para a agricultura. O desenvolvimento a qualquer custo é um inimigo das florestas, mas é possível agir e desenvolver um País de forma sustentável, através de leis rígidas que combatem a devastação em massa e garantem o replantio das áreas afetadas.Em meio a decisões sobre o novo Código Florestal, campanhas de conscientização e mobilizações contra o aquecimento global, a preservação dos biomas é um alerta corriqueiro, entretanto boa parte das florestas já foi desmatada, tornando impossível fazer um levantamento sobre o número de espécies extintas.
Se o pensamento de preservação não existir, muitas outras correm o risco de sumirem para sempre. Impactos como este afetam não só as árvores como toda a biodiversidade presente em uma floresta.

Hoje,também é comemorado o Dia do Protetor de Florestas, também conhecido como Curupira. Essa figura do folclore é conhecida pelos seus cabelos vermelhos e pelos pés virados para trás. Seus pés virados ajudam, segundo a lenda, a enganar os inimigos, uma vez que seus passos ficam na posição trocada, dando a falsa impressão de que estão chegando perto dele, quando, na realidade, acontece o contrário.

Segundo o folclore, o Curupira protege as florestas das agressões constantes do homem, tais como desmatamento e caça de animais. Os agressores são atraídos por essa figura e nunca mais retornam, perdendo-se na mata. No caso de caçadores, o Curupira é conhecido por transformar a família deles em caça e, só após o caçador ter matado seus familiares, ele reconhece que, na realidade, eram pessoas de sua família. A lenda também afirma que os índios levavam presentes para evitar o terrível ataque do Curupira. Além de aniquilar os destruidores da floresta, o Curupira possui a capacidade de ressuscitar os animais mortos pelo homem.

Apesar de ser apenas uma lenda, hoje sabemos que existem diversos profissionais que realmente protegem diariamente nossas florestas. Chico Mendes destacou-se como um importante homem que levantou a bandeira da luta contra a destruição da Amazônia. Ele realizou diversos trabalhos e lutou ativamente contra o desmatamento e o massacre aos índios. Em virtude de sua luta, gerou revoltas e começou a receber ameaças, sendo morto em 1988.

Entretanto, vale salientar que não existe apenas essa figura importante em nossa história, vários ativistas conhecidos internacionalmente, biólogos, engenheiros, professores,educadores ambientais e outros profissionais lutam diariamente contra a destruição das florestas, sendo esses os verdadeiros Protetores das Florestas. Essas pessoas são constantemente ameaçadas e mortas por se posicionarem contra assuntos de grande interesse econômico.

Para a educadora ambiental e tuxáua, Marly Cuesta,”o maior problema na falta de ações de preservação no nosso país é a falta de educação para a formação de cidadãos conscientes de seus papéis na sociedade”.Segundo ela,não podemos exigir de pessoas sem conhecimentos que saibam a importância das florestas e respeitem o meio ambiente.Propõe que sejam organizadas rodas de conversas constantes nas comunidades,escolas e centros culturais,com aporte financeiro e tecnológico da gestão pública de todas as esferas.

As mudanças climáticas podem degradar as florestas e afetar a água

As mudanças climáticas estão modificando o comportamento de precipitações e temperaturas, o que vai alterar os agrossistemas atuais.

Na América Latina e Caribe, as mudanças nos padrões de chuvas e temperaturas vão afetar o rendimento de cultivos básicos como trigo, arroz e feijão, gerando uma pressão sobre as áreas não agrícolas, geralmente cobertas pelas florestas, para convertê-las em áreas produtoras de alimentos.

“As mudanças climáticas afetam a saúde e a qualidade das florestas e a disponibilidade de água, sendo que este efeito é ampliado pela degradação dos solos devido a expansão das áreas de cultivos em locais não apropriados e a intensificação da produção e do uso não apropriado de insumos agrícolas”, salientou Meza.

Entre possíveis efeitos das mudanças climáticas, se espera que no meio deste século ocorra uma substituição gradual das florestas tropicais por savanas no leste da Amazônia, e ainda da vegetação semiárida por vegetação de áreas áridas devido ao aumento da temperatura e da diminuição de água no solo.

Atualmente, a FAO está implementando uma iniciativa regional que trabalha com os governos para apoia-los no cuidado com os recursos naturais, enfrentar as mudanças climáticas e gerir os riscos de desastres.

Fonte:
http://www.fao.org/americas/noticias/ver/pt/c/395917/

Read Full Post »

Conservação do solo garante boa produção de alimentos e desenvolvimento sustentável

Conservação do solo garante boa produção de alimentos e desenvolvimento sustentável

As atividades vão ao encontro da Lei nº 7876 de 1989, que institui em todo o País um dia dedicado à reflexão sobre conservação e uso correto do recurso natural terra a fim de viabilizar sua manutenção e a melhoria na capacidade produtiva de forma sustentável e sem degradação ambiental.

“É uma data para uma reflexão sobre a importância da preservação dos recursos naturais, no qual se insere o solo.Devemos ter a consciência de que é uma questão vital que precisa ser debatida permanentemente pela sociedade”disse a Educadora Ambiental, Marly Cuesta.

Recentemente foi realização em Brasília,a Conferência Governança do Solo, em que dados importantes foram apresentados por especialistas. Entre os dados, está a perda anual de 5 a 7 milhões de hectares de solo fértil no mundo, devido a práticas inadequadas de utilização da terra, entre outros fatores.

Segundo dados surgidos na Conferência, nos últimos 150 anos, perdeu-se metade do solo fértil no planeta, número significativo, levando-se em consideração que a natureza leva 2 mil anos para repor 10 centímetros de terra produtiva. Isto implica na redução drástica da produtividade e na pobreza da humanidade.

Leia mais,

http://www.emater.tche.br/site/noticias/detalhe-noticia.php?id=21265

Read Full Post »

dia-da-floresta_finalPara sensibilizar a população sobre a importância das florestas na manutenção dos ecossistemas e no desenvolvimento sustentável, a ONU criou o dia internacional das florestas.

As florestas são essenciais para a manutenção da vida na Terra. Elas são responsáveis pela manutenção da maior parte das fontes de água doce do planeta, abrigam grande parte da biodiversidade, tanto da fauna quanto da flora; elas, em especial as matas ciliares (próximas aos rios), mantêm a integridade dos rios, protegem os solos de erosões, fornecem-nos melhor qualidade de vida, entre muitos outros aspectos.

Pensando na necessidade de sensibilizar a população humana sobre a importância das florestas para a manutenção da vida na Terra e a necessidade de preservá-las, em 1971, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) sugeriu a criação do “Dia Mundial da Floresta”. A comemoração da data foi estabelecida para o dia 21 de março, em virtude do início da Primavera no Hemisfério Norte, de onde partiu a ideia da criação da data. Assim, no dia 21 de março do ano seguinte foi comemorado, na Europa e em muitas outras regiões do mundo, o primeiro “Dia Mundial da Floresta” ou “Dia Internacional das Florestas”.

As florestas brasileiras estão distribuídas por seis biomas com características particulares, ocupam cerca de 61% do território brasileiro e desempenham importantes funções sociais, econômicas e ambientais. Ofertam uma grande variedade de bens e prestam serviços ambientais essenciais, como a conservação dos recursos hídricos e da biodiversidade e a estabilidade climática.

O ICMBio, através das Unidades de Conservação, protege as florestas brasileiras.

Em 2012, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou uma resolução para a criação do “Dia Internacional das Florestas”, que seria celebrado nos dias 21 de março de cada ano. A criação desta nova celebração surgiu no intuito de reforçar a importância dos ecossistemas florestais, bem como a importância de todos os ecossistemas para o desenvolvimento sustentável e a necessidade de preservá-los.

Em março de 2013, a ONU celebrou o primeiro “Dia Internacional das Florestas”, lançando algumas estimativas. De acordo com a Organização, tanto os desmatamentos quanto o manejo da terra são responsáveis por 17% das emissões de dióxido de carbono (um dos principais gases que contribuem para o aquecimento global) geradas pelo ser humano. Contudo, nas últimas décadas a taxa de desmatamento caiu em 20%, segundo o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em entrevista à Rádio ONU.

Essa queda na taxa de desmatamentos foi considerada animadora, mas ainda temos que reduzir mais. Reforçando essa necessidade, Ban fez um apelo aos governantes e à sociedade civil para que se reduza o desmatamento e a pobreza. Ele sugere a promoção de meios de subsistências alternativos que demandem um menor uso dos recursos florestais, já que cerca de 3 milhões de pessoas usam a madeira como combustível fóssil e aproximadamente 750 milhões vivem em florestas.

Para garantir a integridade das florestas, a ONU quer que o desmatamento ilegal seja erradicado, propondo que os países apoiem a sua campanha “Desmatamento Ilegal Zero”, promovendo o plantio de árvores e o controle dos desmatamentos ilegais.

Foto da Aldeia

 

Read Full Post »

Tema 2015-amazonia-vitória-regia a flor símbolo da amzonia_10703622_1692838860940526_5622114592161312789_n Áreas úmidas para o nosso futuro

Em 1997, o dia 2 de fevereiro foi instituído pelo Comitê Permanente da Convenção de Ramsar como Dia Mundial das Áreas Úmidas (World Wetlands Day). A data foi definida em homenagem ao dia da adoção da Convenção: 2 de fevereiro de 1971, na cidade iraniana de Ramsar.

A finalidade do Dia Mundial das Áreas Úmidas é estimular a realização, por governos, organizações da sociedade civil e grupos de cidadãos, de ações e atividades que chamem a atenção da sociedade para a importância das áreas úmidas, para a necessidade de sua proteção e para os benefícios que o cumprimento dos objetivos da Convenção pode proporcionar.

A cada ano, o secretariado da Convenção sugere um tema para as ações desenvolvidas pelos países membros da Convenção de Ramsar.

Este ano o tema é “Áreas Úmidas para o nosso futuro” e tem como objetivo despertar a atenção dos jovens para a conservação das áreas úmidas.

Dia Mundial das Áreas Úmidas 2015 no Brasil

O futuro da humanidade depende das áreas úmidas. Esse ecossistema fornece e purifica a água, enquanto reabastece as águas subterrâneas. Ele também fornece peixes, que alimentam bilhões de pessoas, atua como uma esponja natural para a proteção contra enchentes e seca, assegura a proteção das áreas costeiras quando o nível do mar aumenta e ajuda na luta contra a mudança do clima.

A juventude e a sociedade em geral ainda não conhecem todos os benefícios das áreas úmidas. Na verdade, as áreas úmidas podem ser comparadas a áreas abandonadas, em que se pode cobrir ou converter para ser usada com outra finalidade. Os cientistas estimam que 64% das áreas úmidas mundiais já desapareceram desde 1900. Para o Dia Mundial das Áreas Úmidas, está sendo solicitada ajuda para criar consciência sobre a importância das áreas úmidas para o futuro do planeta. O foco para o Dia Mundial das Áreas Úmidas 2015 será o grupo de amanhã: jovens de 15 a 24 anos.

Baixe o GUIA para organizadores do Dia Mundial das Áreas Úmidas 2015

Baixe o FOLDER e ajude a divulgar o Dia Mundial das Áreas Úmidas 2015


Por que a juventude?

Adolescentes e jovens têm grande interesse por temas ambientais, têm facilidade em lidar com tecnologia, redes sociais etc. e acreditam muito em suas habilidades para fazer a diferença. Eles atuam como formadores de opinião, levando mensagens para a família e grupos de amigos, causando um efeito que pode influenciar a sociedade em geral. Os jovens estão despertando para as questões ambiental e política, cada vez mais, no Brasil. Eles são motivados a acreditar que sua ação pode fazer a diferença. A organização de uma ação do Dia Mundial das Áreas úmidas pode fazer a diferença ao direcionar seu trabalho para os jovens.

A Convenção de Ramsar lançará em 2 de fevereiro de 2015 o Concurso de Fotos para Juventude sobre as Áreas úmidas.

– O concurso é aberto para jovens de 15-24 anos

– Todas as fotos devem ser tiradas com celular ou câmera digital em uma área úmida, de 2 de fevereiro a 2 de março de 2015, e enviadas, até às 24h do dia 2 de março de 2015, no horário Suíço,  para o site
www.worldwetlandsday.org

– Todos os direitos das fotos serão repassados para o Secretariado da Convenção de Ramsar

– O prêmio será uma viagem para uma área úmida que o vencedor escolher, com doação da passagem pela Star Alliance Biosphere Connections.

– Confira o regulamento.

– Para outras informações: gba@mma.gov.br

Baixe o CARTAZ e ajude a divulgar o concurso: versão para impressão com corte e versão para impressão sem corte

http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-aquatica/zonas-umidas-convencao-de-ramsar/conven%C3%A7%C3%A3o-de-ramsar

 

Read Full Post »

fsm2014_logoAs atividades acontecerão nos dias 20 à 26 de Janeiro, em Porto Alegre, na Ágora Acampamento da Juventude, nos horários de acordo com a Grade geral de Programação. Os mestres mostrarão seus brilhantismos profissionais num evento de grande importância para pensar um outro mundo solidário. Será uma oportunidade de grande aprendizado com  trocas de experiências  e saberes com outros grupos  enquanto atores das várias linguagens culturais do mundo da cultura. Em especial, mostrar ao mundo, os trabalhos empoderantes realizados por nossos mestres das Culturas Populares e Tradicionais em prol de um mundo possível através da inclusão social,cultural e ambiental.

Os Consultores convidados mostrarão seus brilhantismos profissionais, suas preocupações e trabalho em prol de uma sociedade mais humana,justa e inclusiva.

Mostraremos mais uma vez ao mundo um trabalho sério, inclusivo e contínuo realizado às duras penas nas comunidades mais carentes deste país, onde,especialmente as crianças, jovens e mulheres aprendem com o fazer-cultural a serem verdadeiramente os atores do desenvolvimento pessoal,econômico e local,sendo  cidadãos conscientes de seus papeis na sociedade, resgatando e fazendo a difusão de saberes ancestrais para o bem viver global.

PROJETO em rede:                                                                       

  • Rede das Culturas Populares e Tradicionais
  • Mestres Artesãos da Economia Criativa e Solidária  da Cultura
  • Pontos de Leitura
  • Pontos de Cultura
  • Educadores Culturais e Ambientais
  • Movimento pelos ODM da ONU RS
  • Tuxáuas 2010-Projeto Bússola Cultural

TENDA DE REFERÊNCIA DAS CULTURAS POPULARES E TRADICIONAIS -ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE: Parque da Harmonia

PROGRAMAÇÃO 

Dia 19 Janeiro – Domingo –  Credenciamento e Acolhida

Dia 20 Janeiro – Segunda-feira –  Credenciamento e Acolhida

Manhã: 9h  – Oficinas de Fuxico com ênfase para educação ambiental

Oficineiras: Marly Cuesta e  Nivalci T.Bittencourt

Dia 21 Janeiro- terça-feira 

Manhã:  9h ás 12h30 – Credenciamento e Acolhida

  • Sala Verde  com vídeos ambientais e indígenas –Cineclube vovó João Reátegue Télles
  • Varal de Poemas indígenas, caboclos e Afros–Ponto de Leitura vovó Naudir Cuesta-leituras e histórias para a cidadania
  • Oficina de Eco-instrumentos com mestre Giancarlo Borba- São oficinas de construção de instrumentos com diversos materiais reciclados como: flautas de canos de PVC, tambores de lata com pele de garrafa pet, sax de cano, cornetas de Pet e Mangueira,zamponha de mangueira.  Mais informações em: www.giancarloborba.com.br

Tarde: 14 às 18h

  • Abertura Oficial do Acampamento da Juventude-Parque da Harmonia-Porto Alegre
  • Abertura da Feira de Artesanato e serviços da economia da cultura e  Trocas Solidárias no Acampamento da Juventude

Dia 22 Janeiro – quarta-feira

Manhã:  Acolhida Cultural

9h – Trocas de Experiências  de contação de histórias e de leituras com Mestres Sirley Amaro-Contação adulto,Rita Stamm-Ponto de Leitura Bolota, Marly Cuesta-vovó Naudir,Pai Julio Cezar da Silva-Boneco Bastião,Mãe Vera Soares do Centro Memorial de Matriz Africana 13 de agosto-1º Ponto de Leitura Afro do RS,entre outros

Tarde:

14h –Roda de Conversa- Artesanato como meio de inclusão social e de o desenvolvimento local ,com Mestres Marly Cuesta, Darlene Kopinski, Darlindo Oliveira Pinto, Terezinha Carvalho da Silva,Giancarlo Borba, Julio Cezar da Silva e outros

15h – Avaliação das propostas aprovadas na III CNC que contemplam  as Culturas Populares e Tradicionais, Artesanato,Matriz Africana, Indígenas e Patrimônio Imaterial com Mestres Gil do Jongo, Marly Cuesta, Darlindo de Oliveira, Elida do Jongo,Elza da Rosa,Graziela Saraiva

Facilitação: Graziela Saraiva

17h – Feira de Artesanato

Dia 23 Janeiro – Quinta- feira

Manhã:  Acolhida Cultural

9h às 10h – 2ª  Roda de Conversa Saberes, Fazeres e Sabores dos Mestres  do  mundo  – artesanato, alimentação tradicional , música e oralidade

Facilitação: Mestra Élida do Jongo 

10h  às 12h30-  Oficina de Rádio Web para criação da rádio web do artesanato pelo educadores  sociais,João Maciel da rádio web Lomba e Celso Broda da rádio web Santa Izabel de Viamão

Tarde:

14h30m as 15h30m –Concentração no Largo Glênio Peres-centro- com atividades culturais com 05 minutos de duração

15h30 – Marcha de abertura  até a Usina do Gasômetro

  • Contação de história  em via pública- Largo Glênio Peres- Comissão Nacional dos Pontos de Leitura , Mestres, Darlene Kopinski-Cepiac,Marly Cuesta-vovó Naudir Cuesta, Sirley Amaro-Contação adulto,Rita Stamm- Bolota, Pai Julio Cezar da Silva-Boneco Bastião e
  • Mãe Vera Soares –Leitura Afro
  • Show  na Abertura: Milongador é uma apresentação solo que traz no repertório além de músicas do CD Milongador, várias canções regionais do Rio Grande do Sul e Latinoamericas mesclados de Voz, Violão e vários instrumentos como, Harmônica, Cuatro Venezuelano, Charango Boliviano, Bombo Leguero entre vários outros construídos com materiais alternativos-Mestre Gianrcarlo Borba,arte-educador, artesão e educador

Noite:

18h-acampamento da juventude

  • Nome da Oficina: Eg Rá – Nossas Marcas – Desenhos étnicos-indígena

Oficineiro: Caciques: Augusto, Merong e outros

  • Palco no Acampamento da Juventude –Mestra Sirley Amaro – Cantigas da minha juventude

Dia 24 Janeiro –

Manhã: –  9h às 10h30 –Tenda das Culturas Populares e Tradicionais – Acampamento da Juventude

  • Formação  Cultura1 e Ambiental  para a sustentabilidade dos empreendimentos populares,

criativos e solidários

Formação I

Tema:  Gestão Cultural, Cidadania e Participação Democrática na construção de Políticas Públicas

Provocadores:

  • Marcelo Azevedo – Pós-graduado em Democracia Participativa(UFMG), Mestre em Educacao(UFRGS) Assessor e produtor de projetos e Políticas Culturais. Organizou e foi o primeiro diretor do departamento de Cidadania e Diversidade Cultural da SEDAC-RS
  • Letícia de Cássia Costa de Oliveira – Gestora e professora em cultura, especialista em Projetos Sociais e Culturais e bacharel em História, Teoria e Crítica em Artes, ambos pela Universidade Federal do RS. Bacharel em Comunicação Social pela PUCRS e especialista em Gestão de Cidades e Empreendimentos Criativos pela Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina. Foi professora do curso de Gestão Cultural e de Artes Visuais: Cultura e Criação do SENAC/RS, além das disciplinas de Empreendedorismo Cultural, nas Faculdades Monteiro Lobato e professora bolsita do PRONATEC no curso de Assistente de Produção Cultural. Foi Conselheira de Cultura da cidade de Porto Alegre e consultora da Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento do RS para desenvolvimento da economia criativa na política industrial do RS. É delegada do colegiado de audiovisual do Estado. É gestora da empresa de consultoria de projetos Pangea Cultural e da V2 Cinema escritório de produção de conteúdo audiovisual para internet, TV e cinema.
  • Mediadora: Silvia Marcuzzo e Mestre Gil do Jongo

10h30 às 11h30

  • Formação II
  • Comunicação para a  valorização da Cultura local e ambiental para promover a Justiça Social e Ambiental
  • Formação III

·         Cultura e Juventude- os lugares da juventude no contexto urbano

·         Formação IV

·         Cultura  e Saúde Indígena

·         Provocadores:

  • Sílvia Franz Marcuzzo – é jornalista, consultora e facilitadora de workshops sobre comunicação, cultura e sustentabilidade socioambiental. Trabalhou na imprensa, assessorias e como coordenadora de comunicação de projetos multisetoriais e instituições. Deu oficinas no 1º Encontro Mundial das Redes dos Pontos de Cultura, Fórum Social Temático, em Canoas, no 1º Encontro dos Pontos de Cultura da Região Serra, RS, e para os Pontos de Caxias do Sul. Integrou a equipe que montou a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do RS, atuando como coordenadora de comunicação da  Sema/Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) de 1999 a 2002. Trabalhou ainda, no Ibama e na Rede de ONGs da Mata Atlântica em Brasília. À frente da sua empresa, a ECOnvicta – Comunicação para a   Sustentabilidade, foi responsável pela comunicação do projeto “Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos”, do Instituto O Direito por um Planeta Verde e do Projeto BR-163 – Floresta, Desenvolvimento e Participação, executado pelo MMA, com gestão da FAO/ONU, no Oeste do Pará  e do Conselho Regional de Biologia da 3ª Região RS/SC. Blogueira no portal Mercado Ético.
  • Sr. Luizinho Martins – Secretário Municipal da Juventude de Porto Alegre
  • Prof. Dr.  Edison Hüttner – PUC RS

Mediadora: Cacique Augusto  da Silva e  Sebástian Gerlic 

11h30 às 12h30

  • Formação IV- Polos Criativos  – Um estudo sobre os pequenos territórios criativos brasileiros
  • Formação V_ Perspectivas para a formação de profissionais dos setores criativos 

Provocadores:

  • ·         Selma Santiago-Gestora cultural e professora de disciplinas em gestão cultural, dramaturgia e teatro. Socióloga, Mestre em Gestão Cultural pela Universidade de Barcelona, Especialista em Gestão de Produtos e Serviços Culturais pela Universidade Estadual do Ceará, atriz, diretora teatral e dramaturga. É professora convidada do curso presencial de gestão cultural da Universidade Federal do Pará e à distância da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e do SENAC/DF. Foi coordenadora de Formação para Competências Criativas da Secretaria de Economia Criativa/MINC, Consultora da UNESCO para a Identificação de Polos Criativos e Coordenadora da Ação Microprojetos do Programa Mais Cultura. Coordenou a área de Formação em Gestão Cultural do Instituto Dragão do Mar/CE e a área de Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura/CE. Foi assessora da Secretaria de Cultura de Fortaleza e coordenou o Projeto Cultura em Movimento e o Projeto Secult nos Bairros na Secretaria de Cultura do Estado do Ceará.
  • Letícia de Cássia Costa de Oliveira -– Gestora e professora em cultura, especialista em Projetos Sociais e Culturais e bacharel em História, Teoria e Crítica em Artes, ambos pela Universidade Federal do RS. Bacharel em Comunicação Social pela PUCRS e especialista em Gestão de Cidades e Empreendimentos Criativos pela Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina. Foi professora do curso de Gestão Cultural e de Artes Visuais: Cultura e Criação do SENAC/RS, além das disciplinas de Empreendedorismo Cultural, nas Faculdades Monteiro Lobato e professora bolsita do PRONATEC no curso de Assistente de Produção Cultural. Foi Conselheira de Cultura da cidade de Porto Alegre e consultora da Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento do RS para desenvolvimento da economia criativa na política industrial do RS. É delegada do colegiado de audiovisual do Estado. É gestora da empresa de consultoria de projetos Pangea Cultural e da V2 Cinema escritório de produção de conteúdo audiovisual para internet, TV e cinema.
  • Mediador: Marly Cuesta  Darlene Kopinski

12h30 às 13h  – Debates

Tarde:

 14h às 15h30– Câmara de Vereadores de Porto Alegre -Endereço: Avenida Loureiro da Silva, 255 –

  • ” Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: O quê se pode esperar dos indicadores na Região Metropolitana de Porto Alegre, até 2015”,  de autoria dos Pesquisadores: Hélios Puig Gonzalez Mss. Planejamento Urbano e Regional e Salvatore Santagada Msc Sociologia

15h30 às 16h30

  • Apresentação de trabalhos já realizados pelo OBSERVASINOS, de autoria da Pesquisadora Marilene Maia

16h30 às 17h30

  • Apresentação de trabalhos já realizados pelo OBSERVATORIO SOCIAL de Lajeado,  de autoria do Pesquisador Adriano Strassburger

17h30  às 18h

  • Vídeo-Debate: Boas Práticas:Saberes e Fazeres da herança cultural da alimentação tradicional em prol do Objetivo nº 1 -Acabar com a Fome e a  Extrema Miséria –  dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio-ODM/ONU e FORMAÇÂO em Economia Criativa e Solidária da Cultura  pelo GT- Boas Práticas do Movimento pelos ODM/ONU  RS – Ação  do Projeto Tuxaua 2010 –Bússula Cultural  no Documentário da TV OVO pelo edital do LabCultura da UFRJ

18h às 18h30

  • Questionamentos e Reflexões sobre o Pós-2015 dos ODM da ONU
  • Provocador: Sr.Luizinho Martins – Secretário Municipal da Juventude de Porto Alegre

18h30 às  19h30

  • Ato de Formação do Núcleo Porto Alegre  pelos ODM da ONU,Coordenado pelo Movimento ODM/ONU RS

Dia 25 Janeiro

Manhã –

9h às 11h- 2ª  Roda de  Saberes, Fazeres e Sabores dos Mestres  do  mundo  – artesanato, alimentação tradicional , música e oralidade  organização da Rede das Culturas populares e Tradicionais

Facilitador: Mestre Darlindo de Oliveira Pinto

 11h às 11h30

  • Experiência RISADA – Rede Indígena Solidária de Arte e de Artesanato da Bahia

11h30 às 12h30 com Sebástian Gerlic

  • IV Encontro  da Rede das Culturas Populares e Tradicionais –Avaliação do plano de Trabalho,das Propostas aprovadas na III CNC e PL Lei dos Mestres e PL do Artesão
  • Facilitadora: Mestra Élida do Jongo

Tarde:

14h – Assembléia dos Movimentos Populares

17horas  – GRANDE  FEIRA DE TROCAS SOLIDÁRIAS  na Praça do Aeromóvel

Dia 26 Janeiro – Atividades  no Parque da Redenção

http://www.forumsocialportoalegre.org.br/

Marly Cuesta

Facilitadora das Redes no COFST

Tuxáua2010

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: