Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Reserva de Desenvolvimento Sustentável’ Category

Evento ocorre entre os dias 25 de maio e 5 de junho com programação em várias unidades

Plantação de milho orgânico na terra Indígena Retomada Guarani

Alimento orgânico


Comemorada em todo o País, a Semana do Alimento Orgânico, que ocorre entre os dias 25 de maio e 5 de junho, tem várias atividades programadas na UFRGS. O tema desta edição é “Produto Orgânico: Melhor para a Vida! Qualidade e saúde do plantio ao prato”. A Universidade integra-se ao evento promovendo, em diferentes unidades, debates sobre o assunto e ações de valorização deste tipo de alimento.
Alimento orgânico na infância

Alimento orgânico

As atividades são promovidas por: Comissão de Produção Orgânica do RS; Faculdade de Agronomia; Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação; Faculdade de Veterinária; e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.

Confira a programação.

29 DE MAIO

II Seminário de Agroecologia e Produção de Modo Orgânico da FAVET

Local: Auditório da Faculdade de Veterinária (Av. Bento Gonçalves, 9090)

Programação:

Oficina: 8h30 às 11h30 – Identificação, processamento e usos de plantas medicinais e bioativas, com Magnólia Silva (UFRGS), Jurema Scheneider (produtora ovos orgânicos), Ângela Escosteguy (IBEM)
Palestra 1: 13h30 às 14h20 – Agribusiness e alguns de seus impacto, com Althen Teixeira Filho (UFPel)
Mesa redonda: 14h30 às 16h – Áreas de atuação do profissional no modo de produção orgânica, com Carlos Roberto Cunha (Emater/RS); Oportunidades profissionais na produção de origem animal, com Ângela Escosteguy (IBEM) e Uso de Alimentos não convencionais na nutrição animal, com Harold Patino (UFRGS)
Palestra 2: 16h30 às 17h20 – Mecanismos de controle e de certificação dos produtos orgânicos, com Michele de Castro Iza (MAPA)
Inscrições e mais informações: seminarioorganicosfavet@gmail.com

30 DE MAIO

Os riscos do avanço da mineração no Pampa e no Rio Grande do Sul

Palestrante: Professor Paulo Brack (Departamento de Botânica/UFRGS)

Data: 30 de maio

Horário: 17h às 18h30

Local: Auditório 2 da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (R. Ramiro Barcelos, 2705 – Campus Saúde).

03 DE JUNHO

Seminário Alimentação Saudável, SISAN e os Territórios Rurais no Rio Grande do Sul

Local: Plenarinho da Assembleia Legislativa

Programação:

Abertura – 9h
Mesa Redonda 1– 10h – Alimentação saudável e qualidade das águas
Mesa Redonda 2 – 14h Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) e os Territórios Rurais no Rio Grande do Sul
Encerramento – 17h – Homenagem a Brizabel Rocha e entrega do Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Rio Grande do Sul ao Poder Executivo, por Dom Mauro Morelli
Inscrições: http://bit.ly/2VoLffB

Mais informações: facebook.com@obssanrs

04 DE JUNHO

Roda de Conversa com os agricultores da feira e alunos da Faculdade de Agronomia, com a palestra “Soberania alimentar e alimentação saudável”, de Rosiele Cristiane Ludtke (MPA), e degustação de produtos orgânicos, Feira e exposição de livros Expressão Popular. Das 10h às 18h, na Faculdade de Agronomia (Av. Avenida Bento Gonçalves, 7712)
Lançamento do Círculo de Referência em Agroecologia, Sociobiodiversidade, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (ASSSAN Círculo) e Inauguração Unidade NutriSSAN da UFRGS. Palestra com Rosa Lia Barbieri (Embrapa) e mesa redonda com Maria Rita de Oliveira (Rede Nutrissan) e Dom Mauro Morelli.
Horário: a partir das 14h

Local: Auditório Nascente – Prédio Centenário (Praça Argentina – Campus Centro)

Mais informações: facebook.com/obssanrs/

Inscrições: http://bit.ly/2VoLffB

Roda de conversa: Agrotóxicos: um problema de saúde pública -palestrantes: Barbara Marianoff (especialista em Saúde Pública) e Sarita Mercedes Fernandez (bióloga, doutoranda em Desenvolvimento Rural/UFRGS).
Horário: das 15h30min às 17h

Local: Campus Centro – pátio ao lado da Faculdade de Educação

Mais informações: facebook.com/Contrapontoufrgs/

06 DE JUNHO

Palestra Alimentar-se é um ato político, com os palestrantes: Salete Carollo (Direção MST/Setor Gênero – Assentamento Hugo Chávez – Tapes) e Roberta Coimbra (Coordenação Estadual do Setor de Produção do MST – Assentamento Conquista da Luta – Rubira I – Piratini)

Horário: das 17h às 18h30min

Local: Auditório 1 da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (R. Ramiro Barcelos, 2705 – Campus Saúde).

Mais informações: facebook.com/feirafabico/

Fonte:
http://www.ufrgs.br/ufrgs/noticias/semana-do-alimento-organico-tem-atividades-na-ufrgs?fbclid=IwAR2FE90YVau1r5WKOiIB0GYfBKfIL9FN8NgXZnrxcqe_tR28FR5bHwH2r2E

Anúncios

Read Full Post »

Campanha de estudantes de Publicidade e Propaganda da UFC e Associação para Desenvolvimento Local Co-produzido (Adelco), que trabalha com os povos indígenas do Ceará, dá visibilidade às lutas dos povos indígenas do Ceará


Por Maristela Crispim

Extermínio de indígenas e invasão de seus territórios, luta pela demarcação de terras, preservação da memória e tradição das tribos são questões enfocadas na campanha para mídias sociais criada por alunos do Curso de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, do Instituto de Cultura e Arte (ICA) da Universidade Federal do Ceará (UFC), para o Dia do Índio (19 de abril).

O trabalho foi feito durante a disciplina opcional Ética Aplicada à Criação Publicitária, que está sendo ministrada neste semestre pela professora Glícia Pontes, numa parceria com a Organização Não-Governamental (ONG) Associação para Desenvolvimento Local Co-produzido (Adelco), que trabalha com os povos indígenas do Ceará.

“Estamos fazendo a campanha para dar visibilidade à luta dos povos indígenas aqui no Estado. Este ano tem sido bem difícil por conta da política anti indígena que se estabelece nesse novo governo por meio da Medida Provisória (MP) Nº 870”, explica a coordenadora executiva da Adelco, Adelle Azevedo.

“No Ceará são 22 terras reivindicadas e apenas uma com o processo concluído. A ideia da campanha é dar visibilidade às 14 etnias existentes no Estado e divulgar o Centro de Documentação da Adelco que é um local onde é possível encontrar informações sobre os povos”, esclarece Adelle.

Ainda segundo suas informações, hoje o principal desafios desses povos é a demarcação das terras, a manutenção e ampliação das políticas de saúde e educação indígena e a gestão ambiental das terras, além da garantias de política públicas para projetos produtivos.

Processo criativo colaborativo
Segundo a professora Glícia, na disciplina Ética aplicada à Criação Publicitária, se trabalha briefings que desafiem os estudantes a pensarem questões que muitas vezes são invisibilizadas do cotidiano do profissional de Comunicação.

“Somos motivados pela ideia de pensar algo sobre representações sociais, uma discussão que vem sendo muito fomentada no nosso cotidiano. Temos uma discussão avançada sobre mulheres e o público LGBT, mas nunca voltamos o olhar de uma forma mais aprofundada em direção à representação indígena na mídia. Daí pensamos na parceria com a Adelco, que tem um centro de documentação com pouca divulgação”, conta.

“Nós percebemos que uma das demandas deles eram as mídias sociais. A partir disso fizemos um processo criativo colaborativo, que contou com a presença da assessora de imprensa da ONG, a Roberta França; e de Isabelle Louise, que é Tremembé e é aluna do curso, embora não esteja matriculada nesta disciplina. Fizemos primeiro uma discussão sobre o que é ser indígena hoje, quais são os desafios, e percebemos que a principal reivindicação ainda é a demarcação das terras e como o Dia do Índio é visto de uma forma caricatural e pouco voltada às lutas indígenas. Daí resolvemos fazer uma campanha que enfrentasse alguns temas e definimos, juntos, quatro para as peças: Terra, Luta, Memória e Identidades”, explica.

“Entramos em discussão do que é necessário para nós, indígenas, vivermos, e como temos expressado nossa luta por meio desses temas”, reforça Isabelle Louise, que e estudante do oitavo semestre e responsável pelas fotos utilizadas na campanha.

Glícia destaca que, a ideia dessa disciplina é se desafiar a pensar de uma forma mais colaborativa, que passa muito mais verdade. “O que a gente vê, muitas vezes, são essas pautas de representatividade social serem tratadas, elaboradas por pessoas que não vivenciam aquela realidade e por isso trabalham de uma forma extremamente caricatural e estereotipada. Nós tentamos nos aproximar para ter mais consistência. Óbvio que, como são peças pontuais, rápidas, não dá para contemplar tudo. O que quisemos deixar claro é que o Dia do Índio não é dia de se fantasiar de índio. É dia de pensar sobre esses povos, que vivem um processo de extermínio há séculos e que construíram a nossa história.

A campanha consta de quatro peças intituladas “Terra“, “Luta“, “Memória” e “Identidades“, acompanhadas de texto explicativo. O programador visual da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC, Norton Falcão, colaborou na orientação para a finalização das peças.

O material começou a ser divulgado nesta semana nas páginas da Adelco no Facebook (https://www.facebook.com/adelcobrasil) e Instagram (@adelcobrasil).

TAGS: (ADELCO ASSOCIAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO LOCAL CO-PRODUZIDO), CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DA ADELCO, CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA, DIA DO ÍNDIO, ESPECIAL, ÉTICA APLICADA À CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA, IDENTIDADES, INSTITUTO DE CULTURA E ARTE (ICA), LUTA, MEMÓRIA, ORGANIZAÇÃO NÃO-GOVERNAMENTAL (ONG), TERRA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ (UFC)

Fonte

Campanha revê representação indígena na mídia

#adelco #diadoindio #identidade #ICA #luta #memoria #terra #UFC

Read Full Post »