Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \25\UTC 2018

Achado histórico revela primeira Deusa Nimba encontrada no território americano
Pesquisa

Klaus Hilbert, Édison Hüttner e Éder Hüttner
Foto: Camila Cunha


A partir de 26 de setembro, uma descoberta histórica estará exposta para toda a comunidade no saguão da Biblioteca Central da PUCRS. Trata-se de uma Deusa Nimba encontrada em Santo Ângelo, cuja identidade foi confirmada pelo coordenador do Núcleo de Estudos em Cultura Afro-brasileiro e Indígena (Neabi) da Escola de Humanidades da PUCRS, Édison Hüttner. Segundo o pesquisador, a peça em madeira foi produzida entre os séculos 18 e 19 por afrodescendentes brasileiros que conheciam a arte, escultura e rituais praticados pelo povo Baga/Nalu, da região do Oeste africano (Guiné, Guiné-Bissau). Hüttner ressalta que é a primeira escultura do gênero encontrada em solo americano: “Esta descoberta indica a existência de rituais autênticos de religiosidade de afrodescendentes brasileiros”, afirma, lembrando que os rituais secretos eram realizados somente por homens, e eram proibidos pelo Governo.

A peça foi localizada por um pescador na década de 80 no Rio Ijuí, após uma grande seca. O Sr.Laercio Magagna, afirmou,”Essa escultura,foi encontrada realmente no Rio Ijuí e quem a encontrou e retirou ela do rio,foi meu amigo, o pescador Eder Antônio Smolks, sou testemunha que ele tinha ela na casa dele.”

Em 2016, em visita à cidade de Santo Ângelo, Hüttner obteve autorização do atual proprietário da peça,o artesão Getúlio Soares Lima, para que ela fosse estudada na PUCRS.

A escultura tem 46,4 cm e 3,70 kg.

Imagem é comparada a fotos da etnia

A confirmação da origem da escultura veio após dois anos de estudos com a participação de Eder Hüttner, seu irmão, e Klaus Hilbert, coordenador do Laboratório de Arqueologia da Universidade. A estátua passou inclusive por uma tomografia no Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (Inscer).

Estátua esculpida em madeira Guajuvira é a primeira encontrada no Brasil
Jefferson Botega / Agencia RBS

Deusa Nimba

A deusa Nimba e sua gente:
– A escultura tem 46,4 cm e 3,70 kg. Segundo os pesquisadores, estava presa em algum local para ser cultuada;
– Os estudos revelaram que a escultura foi esculpida num único troco de madeira por um artista afrodescendente que conhecia a tradição dos povos Baga ou Nalu da Guiné, Guiné Bissau, do Oeste da África;
– A Deusa Nimba era cultuada pela Sociedade Secreta Cimo, nas festas da semeadora e colheita do arroz vermelho (Oryza Glaberrima). Este arroz foi plantado no Maranhão e Bahia;
– Nimba é considerada a deusa da fertilidade e significa “alma grande”;
– Cada Nimba é uma peça única, com características que revelam a originalidade, a mão do artista e seu contexto. Portanto, a Nimba não é uma cópia idêntica de outra Nimba, não é uma réplica;
– A madeira esculpida é da árvore Guajuvira.

Origem da peça

Segundo os pesquisadores, são diversas as hipóteses de como a estátua pode ter chegado até o rio Ijuí. Conheça algumas delas:

-Em 1756, o exército português permanece acampado por oito meses em Santo Ângelo, com a presença de 190 escravos;

-Já em 1765, uma leva de negros da Guiné chega ao RS, vindos da Bahia;

-Mais tarde, em 1784, cerca de 13 mil escravos da Guiné vão para Buenos Aires pelos tratados de comércio entre as coroas ibéricas;

– Em 1814 havia nos Sete Povos Missioneiros 250 negros;

– Durante a Revolução Farroupilha – havia na Villa de Cruz Alta (RS) um quilombo. Na época a região das missões, inclusive Santo Ângelo (RS) pertencia a Cruz Alta. Havia quilombos no RS – com escravos da Guiné.

Sobre a exposição

A peça estará no saguão da Biblioteca Central da PUCRS de 26 de setembro a 30 de outubro. A abertura oficial ocorre no dia 26 às 18h30min. A entrada é gratuita e a curadoria é dos pesquisadores Edison Hüttner, Eder Hüttner e Klaus Hilbert.

A exposição tem entrada franca e é aberta ao público.

Fontes:
http://www.pucrs.br/blog/estatua-do-seculo-18-com-arte-africana-e-descoberta-no-rs/

https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2018/09/estatua-secular-de-deusa-africana-e-descoberta-no-estado-cjlwwkral029601px
3kntjszz.html

https://ensinarhistoriajoelza.com.br/uma-deusa-africana-descoberta-no-rio-grande-do-sul/

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2018/09/12/estatua-de-arte-produzida-por-afrodescendentes-brasileiros-no-seculo-18-podera-ser-visitada-em-porto-alegre.ghtml

https://books.google.com.br/books?id=B667ATiedQkC&redir_esc=y

http://www.randafricanart.com/Baga_Nimba.html

Anúncios

Read Full Post »

Parceria do Lions Clube de Natal Norte com o Projeto Amana e Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte

Nesta sexta-feira (21), é celebrado em todo o território nacional, o Dia da Árvore. A data foi instituída em 1965 e foi escolhida por ser próxima ao início da Primavera, dia 23 de setembro. Para marcar a data, o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte promoveu plantios de mudas com as crianças do Projeto Amana – Agente Mirim Ambiental de Natal e membros do Lions Clube de Natal Norte, que no último dia 6 se reuniu com o Gestor do Parque para conhecerem os projeto ambientais para estabelecer parcerias e participar do evento alusivo ao meio ambiente. O leonismo pauta a sua atuação na valorização e defesa dos princípios como companheirismo e serviço prestado às comunidades carentes e junto às entidades sem fins lucrativos e o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte trabalha com parcerias para alavancar os seus projetos ambientais.

Programação do Dia da Árvore iniciou às 15 horas, com palestra a respeito das atividades da Unidade de Conservação e de Proteção Integral, seguida de uma apresentação musical das crianças do Projeto Amana. O grupo também, visitou o Memorial Natal, que funciona na torre, a Biblioteca, a Sala de Exposição dos Animais, Centro de Produção de Mudas da Mata Atlântica e encerrou a visita com o plantio de mudas de Pau-brasil produzidas no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, junto com as crianças do Projeto Amana.

O Dia da Árvore tem por objetivo conscientizar a população sobre a importância dessa grande riqueza natural, que além da fotossíntese, exercem diversos outros papéis ecológicos como, por exemplo, evitam a erosão e melhoram a umidade relativa do ar por intermédio da evapotranspiração. Também servem de moradia para várias espécies de animais, além de fornecerem alimento para uma grande quantidade de organismos vivos, incluindo o homem, porque elas aproveitam o gás carbônico que eliminamos pelos pulmões e o transformam em oxigênio. As árvores também são importantes para evitar desmoronamentos de terra e enchentes nos rios. Elas formam uma barreira natural quando chove muito e impedem que desastres maiores aconteçam.

O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte tem desenvolvido projetos de plantio de mudas e recuperação de áreas degradadas e desde o início deste ano já plantou mais de 3.000 mudas. E está perto de alcançar a expectativa para 2018 de plantar 4.000 mudas dentro da sua área e na área da Zona de Proteção Integral – ZPA 01. “O Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas está sendo desenvolvido em várias etapas e fizemos plantios no Dia da Floresta, Dia do Pau Brasil, Dia da Mata Atlântica, Semana do Meio Ambiente e vamos plantar mais 100 mudas no Dia da Árvore e ao longo da semana. E também estamos implantando o projeto de irrigação para facilitar a cobertura vegetal nos períodos sem chuva”, lembra o gestor do Parque da Cidade, Carlos da Hora

“A Leão e Tuxáua, Marly Cuesta, foi a idealizadora do projeto de Adesão e Parceria com o Parque da Cidade,tendo sua sugestão acatada pela Presidente do Lions Clube de Natal Norte”, ressaltou a CaL Maria Luzinete Viégas Nôga.

Lions Clube de Natal Norte,celebra o Dia da Árvore

Fonte http://www.viacertanatal.com.br/2018/09/parque-da-cidade-dom-nivaldo-monte.html?m=1

https://photos.app.goo.gl/q85Azv3CyPB4o99U8

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: