Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \30\UTC 2014

Arqueólogo limpa uma tumba recém descoberta na cidade de Lima no Perusize_590_2013-10-24T180428Z_2005686821_GM1E9AP05OG01_RTRMADP_3_PERU-ARCHAEOLOGY

Designação foi concedida no sábado durante um evento em Doha, no Catar

A designação foi concedida no sábado durante um evento em Doha, no Catar.

A rede viária, conhecida como Qhapaq Ñan, se estende por quase 60 mil quilômetros em toda a cordilheira dos Andes, passando por seis países, segundo o Ministério da Cultura do Peru.

Embora partes da rede sejam anteriores ao império Inca, o auge de sua expansão ocorreu no século 15, quando os incas usaram suas vias para exercer dominância nos Andes.

 

Arqueólogo limpa uma tumba recém descoberta na cidade de Lima, no Peru

 

Fonte:

http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/caminho-inca-e-declarado-patrimonio-da-humanidade

 

 

 

Anúncios

Read Full Post »

IMG-20140820-WA0001Dezenove representantes de Pontinhos de Cultura de todo o país participaram da oficina de cultura da infância promovida pelo MinC, para contribuírem no debate sobre a construção de políticas públicas na área.

Também participaram da atividade o secretário de Políticas Culturais do MinC, Américo Córdula, e gestores da Secretaria de Políticas Culturais (SPC) e da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do ministério.

Programação completa

PRIMEIRO  DIA – 23 de setembro

Formação dos  Grupos I e II
Local:  Centro de Referência Cultura Infância/Teatro Municipal do Jockey

08:00 – Credenciamento
09:00 – Mesa 1 – A infância,  a criança e o país
Participantes:
•    Américo Córdula
•    Sergio Sá Leitão (Secretário de Cultura do Rio de Janeiro)
•    Karen Acioly (Diretora do FIL)
•    Crianças porta-vozes
•    Mediador: Marcus Tavares

11:00 – Mesa 2 – A Cultura Infância no Plano Nacional de Cultura e sua importância nos Planos Estadual e Municipal
Participantes:
•    Américo Córdula ( MinC/Secretaria das Políticas Culturais)
•    Tatiana Richards (Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro)
•    Emidio Sanderson (Plano Estadual Cultura Infância, do Ceará)
•    Mediador: Veríssimo Junior

13:00 – Intervalo / Almoço

Após o almoço, haverá a subdivisão do FÓRUM em dois grupos:
Grupo I – Criança Prioridade Absoluta (Parceria Instituto Alana)
Local:  Oi Futuro Flamengo

Programação:
14:00 – Filme: Tarja Branca – A Revolução que Faltava (80 min)
15:20 – Mesa 3 – A Linguagem e Experiências
Participantes:
•    Cacau Rhoden (diretor do filme Tarja branca)
•    Alemberg Quindins (Fundação Casa Grande, homem do Cariri)
•    Mediação: Patricia Durães

16:20 – Mesa 4 – A Criança em Primeiro Lugar (Instituto Alana)
Participantes:
•    Renata Meirelles (Idealizadora do projeto Território do Brincar)
•    Flávio Paiva (Autor / Compositor / Jornalista)
•    Mediação: Lais Fontenelle (Instituto Alana)

19:00 – Exibição de curtas: Território do Brincar

Grupo II  –  I Oficina de Sistematização do Plano Nacional de Cultura (Parceria Ministério da Cultura)
Local: Centro de Referência Cultura Infância/Teatro Municipal do Jockey

Programação:
14:00 – Qualificação e revisão do Plano Nacional de Cultura
Divisão de grupos de trabalhos em 3 eixos: Espaço, Tempo, Linguagem.
Coordenadores dos eixos:
Espaço: Cecília Cavalcanti (RJ)
Tempo: Miguel Vellinho (RJ)
Linguagem: Luiz Carlos Vasconcellos (PB)
Relatora: Clarice Cardell

18:00 – Encerramento das atividades

19:00 – Espetáculo do FIL: 100% Família
Apresentação de resultado de intercâmbio entre as companhias Made in Jabón (Espanha) e o grupo vocal Ordinárius (Brasil)

SEGUNDO DIA – 24 de setembro

Grupos I e II
Local: Centro de Referência Cultura Infância/Teatro Municipal do Jockey

9:00 – Dinamização dos grupos de trabalho do Fórum:
Sistematização e Desenvolvimento das 16 (Dezesseis) Ações do documento Uma Política Publica para a Cultura Infância. Serão abordados três eixos para os grupos de trabalho:

ESPAÇO
Quintais do Brincar
Altamente Recomendável – Escola
Portal Brasileirinhos
Midiateca
Acessibilidade

TEMPO
Núcleo de Documentação
Prêmio Nacional Cultura da Infância
Conversa entre Gerações
Museu da Infância
Aos Mestres, o Direito de Patrocínio (Homenagens aos Mestres da Cultura da Infância)

LINGUAGEM
Ler junto é divertido
Colaboratório da Infância
Cidadania e Prevenção
Coros Infantis Brasileiros
Exposições e Publicações
Bolsas de Estudo e Residências Artísticas – Nacionais e Internacionais – de Curto Prazo

13:00 – Intervalo / Almoço

14:00 –  GT Nacional Cultura Infância / Articulação Nacional
Continuação dos trabalhos

17:00 – Apresentação coletiva da Redação Final do documento Uma Política Publica para a Cultura Infância
19:00 – Encerramento das atividades

20:00 – Espetáculo do FIL: Experiência Yellow
Apresentação de resultado de intercâmbio nacional com artistas independentes RJ/SP.

*Os participantes receberão um certificado do FIL pela participação.

SERVIÇO:
Data: 23 e 24 de setembro (terça e quarta-feira) das 9h às 19h
Locais:

  1. Centro de Referência Cultura Infância/Teatro Municipal do Jockey
    1. Endereço: Av. Bartolomeu Mitre, 1.110, Gávea (Entrada de veículos pela Rua Mário Ribeiro, 410)
  2. Oi Futuro Flamengo
    1. Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63

Fonte:

http://www.cultura.gov.br/noticias-destaques/-/asset_publisher/OiKX3xlR9iTn/content/id/1216240

Read Full Post »

Cultura do Arroz_featured-image-2997
8ª Primavera dos Museus – Museus Criativos 
ECO Museu Criativo MEMÓRIA DO ARROZ NA LAGOA DOS PATOS 
RUA TAMANDARÁ, 390 – CENTRO  – TAPES – RS
bussolacultural@gmail.com
Tel: (51) 8142-4976
PROGRAMAÇÃO

22/09/2014 a 28/09/2014 – 09h30 às 17h

Mostra Cultural da Fanfarra do Ponto de Cultura Butiá de Tapes,RS.
Apresentação:
Exposição do artesanato local – José Carlos, mestre artesão  tradicional tapense.
Exposição de fotos antigas da cultura e tradições, espaços de armazenamento,ferramentas,objetos e cilos do arroz.
Roda de Conversa:
Patrimônio Cultural- Prof.Dr.Edison Hüttner-Possui graduação e mestrado em Teologia pela PUCRS (1995/2000) e doutorado em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana – Itália(2003). É um tapense e  colaborador voluntário  do  ECO Museu Criativo MEMÓRIA DO ARROZ NA LAGOA DOS PATOS.Atualmente é professor titular da PUCRS. Atua principalmente nos seguintes temas: fenômeno religioso, diálogo inter-religioso, cultura indígena, amazonas, arte sacra, tele-saúde-indígena, gerontologia do índio idoso.Coordenador do Núcleo de Estudos  em Cultura Afro-brasileira e Indígena. Coordenador do Projeto de Arte Sacra Jesuítico-guarani. Idealizou e coordenou o Iº Fórum Internacional Povos Indígenas ; missões multidisciplinares na área de saúde indígena com as etnias indígenas: Arara e Gaviões em Ji-Paraná RO, Índios do Alto Xingu. Atuação em telemedicina. Trabalho reconhecido pela Organização Mundial de Saúde; Organizou e publicou online uma obra em parceria com a Fundação Darcy Riberio e karioca Media: (Séculos Indígenas no Brasil: Catálogos de Imagens. EDIPUCRS, 2010/ 2ª Edição 2010 (considerado como o étnico brasileiro pelo Jornal Correio do Povo). Recebeu carta da Secretaria do Estado do Vaticano em 2010 com agradecimento e elogio do Papa Bento XVI pela obra mística: Rosário: Orações de Outubro, assinada por seu Secretário de Estado, Peter Wells. Co-Coordenador da Ação Educativa: Séculos Indígenas no Brasil. Fórum de Atualização sobre Cultura Indígenas (Modolo I, II e III- Brasilia 2009, 10, 11). Coordenador Geral da Exposição Séculos Indígenas – III Edição. Brasília (2011). Personalidade Estadual da Semana Missioneira(2012,2013,2014).
A sustentabilidade pela Economia Criativa da Cultura com a preservação do Patrimônio Cultural –  Letícia de Cássia Costa de Oliveira –Gestora Cultural e Professora. Gestora de Cidades e Empreendimentos Criativos pela Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina, Especialista em Projetos Sociais e Culturais, graduada em Artes Plásticas – Bal. em História, Teoria e Crítica de Artes, ambos pela UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Graduada em Comunicação Social Relações Públicas pela PUCRS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É professora do curso da Especialização em Economia da Cultura da UFRGS. É consultora para a Rede dos Pontos de Cultura do RS desde 2012 e para a Formação Cultural no Fórum Social Temático 2013. Foi professora das especializações de Gestão Cultural e Artes Visuais: Cultura e Criação do SENAC RS e da disciplina de Empreendedorismo Cultural no curso de Produção de Artes Cênicas das Faculdades Monteiro Lobato. Foi consultora de desenvolvimento sustentável sócio-cultural, atuando nas áreas de economia cultural, criativa e economia solidária e solidária da cultura para a gestão pública e privada. Esteve a frente da produção de filmes e mini-séries para cinema e televisão, em sua produtora V2 Cinema. Exerceu atuação em política pública de cultura em diversas entidades da área. Atuou como conselheira do audiovisual e Vice-Presidente no Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre, sendo responsável pela elaboração do Plano Municipal de Cultura da cidade. Também foi Vice-Presidente da Associação da Cinemateca Paulo Amorim do RS e atualmente é delegada do audiovisual no Estado. Foi fundadora da LAFCN – Latin American Film Commission Network, rede de promoção de negócios do audiovisual. É consultora formativa do Colegiado do Artesanato e das Redes de Culturas Populares e Pontos de Cultura. Atua principalmente nos seguintes temas: gestão cultural, patrimônio cultural, política cultural, difusão cultural, identidade cultural, economias cultural, criativa e solidária, desenvolvimento sustentável (arranjos produtivos locais), cultura popular, artesanato, cinema, artes visuais e comunicação.
Saberes, Sabores e Fazeres dos Mestres das Culturas Populares e Tradicionais – Marly Cuesta Télles de Conti -Idealizadoras do Projeto  ECO Museu Criativo MEMÓRIA DO ARROZ NA LAGOA DOS PATOS.Índia amazonense, educadora popular, mestre artesã e da alimentação tradicional, iniciou seu trabalho na década de 70 como articuladora e educadora popular ainda no Amazonas com educação para jovens e adultos para assentados do INCRA. Ao vir morar no RS continuou com seu trabalho na cultura popular e economia criativa e solidária da cultura em comunidades carentes de Porto Alegre. É articuladora e ativista das políticas ambientais,direitos humanos, economia criativa e solidária do RS e do Brasil sendo representante da Região Sul no Colegiado Setorial de Artesanato do Conselho Nacional de Política Cultural-CNPC/MINC.Articuladora e mobilizadora da Rede de Museus Comunitários e Pontos de Memória do RS. É Produtora Cultural na Associação de Mulheres Vitória-Régia e Gestora Cultural no Ponto de Cultura Vitória-Régia,Ponto de Leitura  e Cineclube/Sala Verde. Pelos relevantes trabalhos foi agraciada com o Título Acadêmico Honorífico de Cidadania Planetária pelo Conselho Mundial de Cidadania Planetária-Projeto Vôo da Águia,em 2010.Foi  premiada com o Projeto Bússola Cultural – Onde os Pontos de Cultura e a economia criativa e solidária se encontram pelo Prêmio Tuxáua 2010 do Programa Cultura Viva e homenageada com o Título Evidência 2011 e 2014 pela Associação Comunitária São Miguel de Tapes por seus relevantes serviços culturais. Foi membro da Comissão de Avaliação do Edital do Prêmio Economia Viva 2010 da SCC/MINC e da Comissão de Avaliação de Mérito do Edital de Pontos de Cultura da Rede Municipal de Caxias do Sul,RS.É Titular do GT-Boas Práticas do Movimento pelos ODM da ONU no RS. Facilitadora do GT Cultura do Fórum Social Mundial,uma das Coordenadoras do GT-Cultura do FSTemático e Coordenadora dos projetos dos Pontos de Cultura,Leitura,Memória e culturas populares e tradicionais em todas as edições do FSM e FSTemático.É Conselheira no Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre,pela cadeira dos Pontos de Cultura do RS. Foi uma das Titulares da Comissão Executiva do Plano Municipal de Cultura de Porto Alegre  e compõe o GT de Sistematização do Plano Nacional do Artesanato do CNPC.´Compõe o Comitê de Economia Criativa de Porto Alegre como representante do Conselho Municipal de Cultura. Produtora Cultural do grupo Coral Indígena da Aldeia Indígena Guarani Aracuã,Lami,Porto Alegre.Foi  Representante titular da Rede dos Pontos de Cultura do RS na Comissão Nacional dos Pontos de Cultura de 2010 à 2013.Foi Titular do GT-Economia criativa e solidária da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura de 2008 à 2010.
História do ECO Museu Criativo MEMÓRIA DO ARROZ NA LAGOA DOS PATOS  para  melhoria na qualidade de vida da população a partir da gestão participativa, da valorização da memória coletiva e da criatividade dos processos culturais – Marly Cuesta Télles de Conti – Educadora Popular e mestre das Culturas Populares e Tradicionais.
Oficinas de alimentação dos antigos arrozais – Helena Marta Dalben Gorzila – Nutricionista e mestre dos saberes da alimentação dos arrozais tapenses.
Hora da Sala Verde – Exibição do documentário dos tempos das carroças de bois, da pavimentação da BR 116  na frente da entrada da cidade e dos desfiles temáticos –  Edimar Moraes – Educador Popular, Gestor e Produtor Cultural na Associação Comunitária São Miguel e oficineiro no Ponto de Cultura Butiá de Tapes.

VISITAÇÃO GUIADA na Rota da Cultura do Arroz- 
RAUL OLMIRO DA SILVA (RAUL SELVA)-É ecojornalista,atuante no movimento cultural e ambiental do RS. Educador Popular e Social, ensaísta, motivacionista e poeta.Contribuiu na criação de várias organizações ambientais e de conservação do meio natural do RS e de SC. Atuou na Associação dos eco jornalistas do RS como diretor. Com relevantes trabalhos internacionais realizados na Itália e da America Latina. Motivacionista nas ações culturais e ambientais em alguns projetos. No Centro Cultural Vila Sampaio,atua de forma voluntária nas ações relevantes dos projetos culturais, editoriais nas ações de profusão da cultura indígena.
De 22 a 28 de setembro, 761 museus e outras instituições culturais provem uma programação especial como mais de 2400 eventos, como exposições, visitas guiadas, palestras, exibição de filme, entre outros.
Fonte:IBRAM
Museus criativos
A Primavera de Museus, que em setembro vai mobilizar as instituições museológicas de todo o país, tem por tema a criatividade. Pelo oitavo ano consecutivo, renova-se o evento, que cumpre, no segundo semestre, o papel desempenhado em maio pela Semana Nacional de Museus.
Ao propor o conceito de “museu criativo”, o Instituto Brasileiro de Museus elege-o como o principal estímulo à manutenção e ao
desenvolvimento de cada museu, na exploração de sua capacidade de inovar-se, modernizar a gestão, diversificar iniciativas, ampliar a presença no território em que se acha inserido e atrair público.
O que seria, na realidade, um museu criativo? Será aquele que investe na sensibilidade e na inteligência de suas equipes, busca
incorporar colaborações diferenciadas e experimenta possibilidades inéditas de sustentabilidade e expansão, aprimorando a missão cultural e sua filosofia social. Certamente, é o museu que se instrumentaliza para vencer obstáculos e ultrapassar limites, agindo de modo inventivo e instigante, na perspectiva do amanhã.
Problemas e desafios se acumulam ao redor dos museus, e é preciso que, de maneira criativa e dinâmica, cada qual encontre um caminho seguro para avançar sempre positivamente. Os museus deram um enorme salto, desde o fim do século XX, no sentido da superação da obsolescência que havia dominado a grande maioria deles.
Tornaram-se protagonistas da cena cultural e interferem hoje na vida social e econômica. Referenciam uma nova atitude e um novo olhar no espaço da contemporaneidade. Mas, para evoluir ainda mais e sobreviver às pressões econômicas que o ameaçam, o museu deve exercer a criatividade como estratégia fundamental.
Exemplo de museu criativo é enfatizado pelo Lasar Segall, em São Paulo (SP), quando recebe um prêmio internacional pela experiência de trabalhar com bebês, envolvendo crianças e pais numa nova relação com as obras de arte.
O Museu da Maré, no aglomerado carioca desse nome, chama a atenção internacional pela criatividade que o sustenta como uma das mais notáveis respostas criativas ao desejo de memória de uma comunidade.
Em outro extremo, o Centro Inhotim, em Brumadinho (MG), se impõe como realização singular no quadro mundial, repleta de inovações e criatividade.
De uma iniciativa de pequeno porte, originada da vontade de preservação cultural de cidadãos anônimos ou de coletividades, como os Pontos de Memória, até ousadas propostas de grandes instituições, como o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo (SP), o vigor criativo dos projetos garante a alta qualidade e os resultados admiráveis que se registram.
À procura de novos “museus criativos”, a Primavera é um acontecimento relevante para o intercâmbio de experiências e
conhecimentos. Prenunciam resultados a serem partilhados pelo campo brasileiro, na certeza de que o museu deve reinventar-se, permanentemente, a fim de cumprir seus objetivos na vida dos cidadãos, da sociedade e do país.

Read Full Post »

Convite Cartilha das Frutas Nativas_unnamed (4)Existem na capital gaúcha mais de 50 espécies da flora nativa local que podem ser consumidas como alimentos, mas apesar dessa grande biodiversidade pouquíssimas dessas plantas são conhecidas ou utilizadas pela população.

Por Sara Motter – Comunicação InGá
Acontece, quarta-feira (24), às 17 horas, no Auditório da Biblioteca da SMAM (Av. Carlos Gomes, 2120, Porto Alegre), o lançamento da Cartilha das Frutas Nativas de Porto Alegre, dentro da programação da 24ª Semana da Primavera. A publicação é resultado do Projeto Pró-Frutas Nativas de Porto Alegre, realizado pelo Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (InGá), com apoio do Fundo Pró-Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre (FUNPROAMB).
O município de Porto Alegre apresenta mais de 50 espécies da flora nativa local que podem ser consumidas como alimentos, apesar dessa grande biodiversidade pouquíssimas dessas plantas são conhecidas ou utilizadas pela população. Nesse sentido, o Projeto Pró-Frutas Nativas de Porto Alegre visa à divulgação e à promoção da conservação da biodiversidade dos ambientes naturais e rurais da cidade.
Durante o lançamento da cartilha, no dia 24, além da distribuição da publicação, será divulgado o site do projeto, com diversos materiais elaborados para difusão dos conhecimentos sobre essas plantas, como um guia virtual, um mapa interativo com a localização de algumas árvores matrizes no município e vídeos educativos. O Projeto Pró-Frutas Nativas de Porto Alegre foi selecionado pelo Edital 02/2010 do FUNPROAMB, tendo apoio e patrocínio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM) e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Para participar, basta confirmar presença no evento, enviando e-mail para frutaspoa@inga.org.br

InGá – EcoAgência

Read Full Post »

Dicas valiosas de quem sabe e compartilha!

Marília de Lima - PROJETOS E EVENTOS

ImagemO número de projetos no mercado, para captação, tem crescido muito nos últimos anos. Projetos sociais, culturais, esportivos, turísticos e outros entram no mercado com os mais variados apelos. Mas todos com um único objetivo: conseguir o patrocinador.

Recebo muito material de projetos prontos para a captação. Muitas pessoas me procuram para auxiliar na captação ou indicar quem faz. Porém, para vender a idéia do projeto, além de um bom projeto, é preciso ter uma boa apresentação. E não se enganem, não estou falando de um material caro e elaborado, estou falando de um material INTELIGENTE que realmente venda a sua idéia.

Se o principal objetivo é vender a idéia, você precisa encantar. Mas nunca se esqueça que todos devem ganhar. O jogo é sempre GANHA X GANHA. Portanto, faça o dever de casa e veja: no que e como, o possível patrocinador poderá ganhar também. E por favor, não…

Ver o post original 713 mais palavras

Read Full Post »

Icone-Artesanato-1

Icone-Artesanato-2

 

 

 

Icone-Artesanato-3

Icone-Artesanato-4Icone-Artesanato-5

 

 

 

 

Icone-Artesanato-6

 

Plano Setorial do Artesanato, construído pelo Colegiado Setorial do Artesanato, formado por artesãos e artesãs e representantes de órgãos do governo, entra em sua fase de consulta pública. Todos podem contribuir comentando os eixos que irão orientar as políticas públicas para o Artesanato pelos próximos 10 anos.

 

De 25 de agosto e 9 de outubro de 2014,está aberta consulta pública sobre estratégias e ações para o setor artesanal.

 

Durante o período da consulta, podem opinar sobre os seis eixos:

 

1 – Criação e Produção;

2 – Formação e Capacitação;

3 – Divulgação;

4 – Distribuição e Comercialização;

5 – Fortalecimento do Artesanato; e

6 – Economia, Sustentabilidade Ambiental e Inovação.

 

Cada eixo é composto por estratégias e ações, que aceitam comentários e propostas.

 

 

Para participar siga o passo-a-passo.

 

 

1º Passo – É preciso estar cadastrado na plataforma de consulta do Ministério da Cultura    no    site         Culturadigital.br

 

Link direto para a  página de inscrição: 

http://culturadigital.br/registrar-na-rede/

 

 

 

 2º   Passo  – Link de participação

 

www.culturadigital.br/artesanato

 

 

São 14 campos a preencher, mas apenas 8 obrigatórios, marcados com um asterisco ( * ) (nome de usuário, email, senha, confirmar senha, sexo, cidade, Estado e nome completo, e por fim um campo onde se deve repetir um código que estará aparecendo na página).

 

Sua colaboração em muito  enriquecerá nosso plano.

 

Quando o período da consulta se encerrar, as contribuições serão sistematizadas e após deliberação do Colegiado, poderão ser incorporadas ao Plano Setorial do Artesanato.

 

Devido às restrições eleitorais os comentários serão moderados antes de serem publicados no site da consulta.

 

 

 

Marly Cuesta

Rep.da Região Sul no Colegiado Setorial do Artesanato do CNPC/MINC

Tuxáua 2010

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: